Dez cubanos à espera de serem deportados do Equador entraram em greve de fome para exigir a libertação, dado que permanecem retidos há semanas sem que tenha sido executada a sua expulsão daquele país.

A Aliança Nacional Cubana no Equador confirmou na segunda-feira à agência Efe que o grupo, que se encontra num centro de acolhimento do qual não pode sair com “péssimas condições de higiene e alimentação”, iniciou a greve de fome há cerca de uma semana.

Os cubanos, retidos naquele local há entre um mês e um mês e meio, pedem às autoridades de migração que se pronunciem sobre a sua situação, explicou fonte da Aliança.