As exportações portuguesas, em valor nominal, caíram 3,9% em março de 2016 em comparação com o mesmo mês do ano passado, informou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). As importações desceram 0,8%.

A queda das exportações para fora da União Europeia foi a principal responsável pela descida. Esta rubrica caiu quase 15% em março, depois de já ter descido 17,6% em fevereiro, e contrastou com a subida ligeira (0,3%) das exportações para outros países europeus.

Considerando o primeiro trimestre como um todo, as exportações de bens desceram 2% e as importações aumentaram 1% (na comparação homóloga), adianta o organismo.

O INE esclarece que, se for excluído o efeito das exportações de Combustíveis e Lubrificantes, as exportações de bens caíram 1,3%. Este efeito explica-se, em parte, pela redução dos preços dos combustíveis (a variação é calculada com valores nominais).

ineineine1

Fonte: INE

A balança comercial portuguesa (de bens) passou a ter um défice maior — cresceu 133 milhões face a março de 2015 para 1.040 milhões de euros em março de 2016, um alargamento da diferença entre os bens que o país exporta e importa. Mesmo excluindo os combustíveis, houve um aumento do défice comercial de 185 milhões de euros.

Em março de 2016, tanto nas exportações como nas importações destaca-se a acentuada redução dos Combustíveis e lubrificantes (-39,2% e -26,1% respetivamente), face a março de 2015. Salienta-se ainda o aumento das importações de material de transporte e acessórios (+18,6%).