Nem tudo no Facebook é feito por robôs. O jornal britânico The Guardian teve acesso a um documento que confirma que a rede social tem uma pequena equipa de editores, humanos, que escolhem as notícias mais populares no momento, vistas diariamente por milhões de utilizadores da rede social.

Em causa estará a secção “Populares”, disponível em inglês e apenas em alguns países. O Facebook explica que se trata de uma “lista de tópicos e hashtags que tiveram, recentemente, um pico de popularidade” na rede social. Essa lista “é personalizada com base numa série de fatores, incluindo as páginas de que [o utilizador] gosta, a sua localização e o que é tendência no Facebook”.

Porém, este documento a que o jornal teve acesso mostra que a empresa tem uma equipa que seleciona quais os principais títulos noticiosos que integram o módulo. O documento é semelhante aos livros de estilo utilizados pelos jornalistas e define os critérios editoriais que regem essa equipa que, a dada altura, chegou a ter apenas 12 elementos. Segundo o The Guardian, esses editores trabalham por turnos, “injetando” histórias nesse módulo de tópicos populares e podendo mesmo, alegadamente, remover tópicos que “não representem um evento do mundo real”.

O módulo “Trending” (ou “Populares”, em português) só é visível para os utilizadores de alguns países. Créditos: Facebook

Além disso, nos Estados Unidos da América, o Facebook estará a confiar em apenas dez órgãos de comunicação social no que toca à escolha das chamadas “notícias nacionais” — um dos quatro níveis de importância descriminados no documento. O critério é simples: “calculamos isso verificando se [o assunto] está entre os principais em pelo menos cinco dos seguintes dez sites de notícias: BBC News, CNN, Fox News, The Guardian, NBC News, The New York Times, USA Today, The Wall Street Journal, Washington Post, Yahoo News or Yahoo”, lê-se no manual.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O caso ganha especial relevância numa altura em que o Facebook é acusado de, alegadamente, censurar conteúdos tidos como conservadores, ocultando-os desse mesmo módulo. A denúncia foi feita por um ex-membro dessa equipa de editores, em entrevista ao site de tecnologia Gizmodo.

Com mais de 1.500 milhões de utilizadores, o Facebook é atualmente a maior rede social do mundo. É também um dos principais canais de distribuição de conteúdo para grande parte das empresas de média em todo o mundo, estimando-se que, todas as semanas, pelo menos 600 milhões de pessoas usem a rede social para ver notícias.