O presidente da Câmara de Manchester classificou esta segunda-feira como um “fiasco” o cancelamento do jogo entre o Manchester United e o Bournemouth, por descoberta de um pacote suspeito, resquício de um teste de segurança na semana anterior.

“É escandaloso. Este fiasco causou enormes problemas para os adeptos que vieram de longe e colocou em risco milhares de pessoas, já que uma evacuação comporta sempre algum risco”, disse em comunicado, Tony Loyd.

No domingo, uma brigada do exército britânico detonou de forma controlada um pacote suspeito encontrado numa casa de banho em Old Trafford, estádio do Manchester United.

Já esta segunda-feira, John O’Hare, porta-voz da polícia da cidade inglesa, adiantou que o objeto, “extremamente parecido com um engenho explosivo”, tinha sido “utilizado por uma empresa de segurança privada para um exercício de teste aos cães pisteiros e, depois, esquecido numa das casas de banho do estádio”.

Durante a semana anterior, a polícia de Manchester tinha organizado um simulacro de operação antiterrorismo, na qual um falso bombista suicida islamita se ameaçava explodir. O procedimento era um teste à capacidade de resposta da segurança a ataques como o ocorrido a 13 de novembro de 2015, no Estádio de França, nos atentados de Paris.

O alerta foi dado cerca de 20 minutos antes do início da partida, previsto para as 15h00, e o recinto, com capacidade para 75.000 espetadores, foi evacuado, de forma faseada. Devido à final da Taça de sábado, frente ao Crystal Palace, o jogo da última ronda Liga foi remarcado para terça-feira, pelas 20h00.