O Serralves em Festa, que é como quem diz o maior festival de expressão artística contemporânea do Porto, regressa nos dias 4 e 5 de junho para 40 horas seguidas de cultura gratuita. Sob o tema “Juntar Mundos”, as centenas de atividades incluem a atuação da banda Society & Guests, fundada pelo músico americano Joshua Abrams,

À 13.ª edição, já todos conhecem a mecânica deste festival frequentado por milhares de pessoas — até o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já confirmou presença. Das oito da manhã de sábado à meia-noite de domingo, as propostas são tantas que o difícil é escolher. A programação foi apresentada esta quinta-feira no Museu e inclui música, dança, performance, circo contemporâneo, teatro, cinema, fotografia e ainda “um extenso programa de oficinas e visitas orientadas”, pode ler-se em comunicado.

O tema deste ano, “Juntar Mundos”, reflete o esforço da Fundação de Serralves em apresentar ao Porto o trabalho de artistas “oriundos de várias partes do mundo”, para darem uma “lição de convivência intercultural”. Na música, uma das bandas presentes serão os Natural Information Society & Guests. A banda fundada pelo músico americano Joshua Abrams tem concerto marcado para sábado, às 18h00, e em palco vão estar alguns músicos portugueses convidados, como Norberto Lobo.

Da Austrália chegam os Interactive Ball, de Jon Rose. Domingo, às 19h30, na Clareira das Bétulas, o público presente vai poder ver o projeto uma bola gigante que “irá gerar sons”. O público vai ter de ajudar. Às 20h15, é a vez de a banda funk de Milão Calibro 35 revisita rbandas sonoras de filmes, a que se juntam elementos de vários estilos musicais, do rock ao jazz e à música improvisada.

serralves em festa 2014

Os concertos atraíram muitas das 140 mil pessoas que em 2015 passaram pelo Serralves em Festa. © Divulgação

Destaque ainda para os concertos do Quarteto de Cordas de Matosinhos, sábado às 19h30, na Galeria Contemporânea, e Noberto Lobo, domingo, domingo às 21h30, no Ténis.

A Festa no Prado, no sábado de madrugada, é um dos momentos mais concorridos. Este ano, destaca-se, às 03h00, a eletrónica britânica dos Powerplant, projeto de Shackleton. Antes, à 01h30, ouvir-se-ão os sons de Chicago de RP Boo, um dos criadores do movimento footwork.

Na dança contemporânea, destaque para a italiana Maria Donata D’Urso, com três apresentações do espetáculo “Strata.2”. O brasileiro Volmir Cordeiro mostra “Ciel” e Pedro Prazeres apresenta em estreia absoluta a peça “Eu – Globulus”, sábado e domingo às 17h30 no Passeio da Levada. Trata-se de uma instalação de dança construída de propósito para o Parque de Serralves, onde o público é convidado a encontrar diferentes proximidades, imaginários e relações através de uma coreografia-instrumento de perceção da paisagem.

Serralves em Festa foto

Circo contemporâneo também faz parte do programa. © Divulgação

“E se tudo fosse amarelo?”, de Sílvia Real, é uma das peças de teatro a não perder, sábado às 12h00 no Auditório. Esta é uma peça de teatro/dança onde as crianças são bem-vindas, não só para assistir, mas para participar. Quique Mendez apresenta em várias ocasiões “Sem Remetente”, sempre na Clareira das Bétulas, numa mistura entre circo e teatro.

Tal como em edições passadas, a Fundação leva alguns eventos do programa para fora dos muros de Serralves, como antecipação da festa. No dia 3 de junho às 22h00, por exemplo, Jon Rose apresenta o projeto musical “Wreck” no centro do Porto. No Terreiro da Sé do Porto, nos dias 2 e 3 de junho às 19h30, a italiana Maria Donata D’Urso apresenta a performance “Strata.2”, que nos dias seguintes levará a Serralves.