O estado de emergência decretado na Venezuela esta semana pelo presidente Nicolás Maduro é constitucional, declarou na quinta-feira o Supremo Tribunal do país, controlado por apoiantes do Presidente.

Com a oposição a pressionar para a realização de um referendo para tirar Maduro do cargo, o líder venezuelano decretou amplos poderes para as forças de segurança de modo a imporem a ordem pública e para ajudarem na distribuição de alimentos.

O congresso, controlado pela oposição, rejeitou a decisão. No entanto, o Supremo Tribunal confirmou a sua constitucionalidade, “dadas as extraordinárias circunstâncias sociais, económicas, políticas, naturais e ecológicas que estão a afetar com gravidade a economia nacional”.