A palavra “drogas” não aparece uma única vez na entrevista a Demi Lovato que a Refinery 29 publicou esta semana. Nem precisa. A antiga estrela da Disney admitiu travar uma luta contra estas substâncias quando assumiu que ainda tem “coisas a conseguir” e que isso não significa estar “a falar apenas do que posso fazer com a minha voz”. Depois de uma adolescência marcada por problemas de bipolaridade e por distúrbios alimentares, a cantora de 23 anos tornou assim pública uma perigosa adição à cocaína que dura há muitos anos. “Não passava um dia sem uma dose”, confessou.

Esta não é a primeira vez que Demi Lovato fala sobre drogas. Há dois anos, a cantora contou como costumava esperava que toda a gente adormecesse nos aviões em que viajava para fugir para a casa de banho com a cocaína que levava na mala. Sempre que os pais a tentavam ajudar, ela insistia que não precisava do apoio deles: “Dizia-lhes que eles não me podiam dar ordens porque era eu que pagava as minhas próprias contas”, contou ela. Agora, volta a recordar esses tempos: “Eu era uma daquelas pessoas que não queria saber de nada, tanto fazia. Era um pesadelo estar comigo”.

Foi este o “lado B” da fama que tem feito sombra a muitas das estrelas que vemos brilhar em cima dos palcos ou nos grandes ecrãs. Mas se alguns sucumbiram ao vício, como Amy Winehouse, outras enfrentaram a doença e hoje dizem-se livres do monstro das drogas. É o caso de Angelina Jolie, que nunca escondeu a passagem pelos mundo das substâncias ilícitas; ou de Lindsay Lohan, cujas imagens que passearam na Internet ilustravam bem uma fase de degradação.

Recorde na fotogaleria as histórias de alguns dos famosos que nos entraram pela casa a todo o instante, mas que também entraram nos caminhos sinuosos da droga. A boa notícia: alguns deles já encontraram a saída.