O desejo de lançar feitiços de amor, subjugação e sexo a outra pessoa é mais antigo do se possa pensar. Segundo o site LiveScience, dois papiros com cerca de 1700 anos recentemente decifrados revelam que os feitiços para conquistar o amor já existiam no antigo Egito.

Os feitiços estão escritos em grego, uma língua amplamente utilizada no Egito na época. Os investigadores datam os papiros do século terceiro d.C., mas os autores são desconhecidos.

Um dos feitiços pede aos deuses para que “queimem o coração” de uma mulher até que ela comece a amar quem lançou o feitiço. O outro é dirigido a um homem e utiliza uma série de palavras para o “submeter” à vontade e desejos de quem lança o feitiço. A descrição dos conteúdos dos dois escritos “mágicos” é de Franco Maltomini, da Universidade de Udine, em Itália, que decifrou e traduziu os dois papiros. Os dois feitiços não estão dirigidos a uma pessoa específica e foram escritos de forma a que apenas fosse necessário preencher o destinatário da magia.

Os dois papiros agora descodificados foram descobertos há mais de 100 anos, pelos arqueólogos Bernard Grenfell e Arthur Hunt e fazem parte de um conjunto de centenas de milhares de papiros encontrados em Oxyrhynchus, uma cidade a cerca de 160 quilómetros a sudeste do Cairo, no Egito. Os investigadores têm vindo a estudar, decifrar e traduzir os papiros ao longo do último século, muitos dos quais são agora propriedade da Egypt Exploration Society e estão arquivados na Universidade de Oxford, em Inglaterra.

O italiano Franco Maltomini faz parte de um grupo mais alargado de colaboradores de várias instituições que analisaram e traduziram o lote mais recente destes textos mágicos. O trabalho será publicado num próximo volume da série “Os Papiros de Oxyrhynchus “, um conjunto de livros dedicado à publicação dos papiros encontrados na cidade egípcia.

Invocação aos deuses e receitas de amor

Os feitiços de amor invocam vários deuses gnósticos (o gnosticismo era uma religião sincrética antiga, que incorporou elementos do cristianismo), refere o Live Science. E fazem também referência a ofertas que quem lançava o feitiço devia fazer com o objetivo de ver o seu desejo concretizado. Para além dos feitiços com pedidos de amor correspondido e palavras mágicas, na parte de trás de um dos papiros foram também decifradas receitas.

As receitas são baseadas na utilização de excrementos de animais para tratar uma variedade de doenças, incluindo dores de cabeça e lepra. Outras receitas não tinham o objetivo de curar doenças, mas de ajudar a encontrar mais bem-estar: algumas incluem a nota para “ajudar a promover o prazer.” Ou seja, afrodisíacas. Uma delas refere, por exemplo, que a combinação de mel e excrementos de pássaros em salmoura permite “conseguir alcançar o prazer.”