Todos os sindicatos representativos da aviação civil em França resolveram convocar uma greve conjunta para os dias 3, 4 e 5 de julho, exigindo o fim das reduções de pessoal efetivo.

Outra das exigências dos sindicatos é a renegociação do quadro social e compensatório.

A Direção-Geral da Aviação Civil (DGCA) disse à AFP que vai ter uma “última reunião para negociar o quadro social” a 31 de maio, só depois se sabendo se os pré-avisos de greve dos sindicatos são ou não para manter.

Contactado pelo Observador, o porta-voz da TAP, André Serpa Soares, afirmou que a companhia aérea “não teve ainda conhecimento” por parte das autoridades francesas de qualquer greve agendada para estas datas.

Mas lembrou que entre as 4h00 de dia 26 de maio e a mesma hora de 27 de maio, está outra greve agendada para França. “Pediram-nos que nesse dia reduzíssemos em 15% a nossa operação no país. E isso implica o cancelamento de dois voos entre Lisboa e o aeroporto de Orly, em Paris. O que nós vamos fazer para não causar transtorno a quem têm voos agendados para essa data é aumentar a capacidade dos aviões para Orly”, explicou o porta-voz da TAP.