O estado de estagnação e poluição do rio Yamuna Mahal, rio que passa pelo Taj Mahal, criou um ambiente propício para a multiplicação de insetos. Este fenómeno está a ameaçar a estrutura de mármore branco do Taj Mahal, colorindo as paredes com manchas verdes e pretas, por causa dos dejetos.

Uma das primeiras soluções encontradas pelos responsáveis pelo monumento foi limpar as paredes ao final de cada dia, mas um membro do Levantamento Arqueológico da Índia, Bhuvan Vikram, informou o The Guardian que essa medida estava a danificar as paredes. “Elas estavam a perder o brilho e algumas das imagens já começavam a desvanecer”, afirmou Vikram. As imagens que estão a desvanecer são constituídas por pedras semipreciosas.

O Taj Mahal, uma das maiores atrações turísticas da Índia, enfrenta também um problema relativamente à poluição ambiental, que faz com que o mármore branco passe a ter tons de amarelo e castanho.

O Taj Mahal é um mausoléu construído pelo imperador Shah Jahan, no século XVII, para albergar o túmulo da sua esposa favorita, Mumtaz Mahal.