Foram aprovadas penas de morte e castração química para pedófilos na Indonésia. As novas medidas preveem ainda que quem já tenha cumprido penas por pedofilia tenha que usar uma pulseira eletrónica.

A castração química é legal na Coreia do Sul, Polónia, República Checa e em alguns estados dos EUA e da Austrália e consiste em reduzir a libido através de substâncias químicas.

A medida tomada pelo presidente Joko Widodo surge depois de uma menina de 14 anos ter sido violada e assassinada por sete adolescentes.

O corpo da menina foi encontrado amarrado numa floresta da ilha da Sumatra. Os sete agressores foram condenados a dez anos de prisão.

Joko Widodo justificou a decisão dizendo que “os crimes sexuais contra crianças são crimes extraordinários, porque ameaçam as vidas de crianças” e que espera “que esta lei seja um impedimento para infratores e que possa suprimir crimes sexuais contra crianças.”

O decreto presidencial tem efeito imediato, mas ainda pode ser chumbado ou alterado no congresso.

A Indonésia está sob o escrutínio da comunidade internacional por ainda recorrer à pena de morte. Recentemente, a execução de sete estrangeiros por fuzilamento condenados por tráfico de droga foi criticada.