Agora já é certo. Donald Trump conseguiu juntar 1 238 delegados nas primárias do Partido Republicano, mais um do que a margem mínima de 1.237 para conseguir a maioria para conseguir a nomeação direta na convenção de julho.

A certeza é dada pela Associated Press, que desde o início das eleições primárias conta ao pormenor todos os delegados que cada candidato conseguiu juntar.

Donald Trump conseguiu atingir esta marca depois de a líder Partido Republicano no estado do Oklahoma, Pam Pollard, ter declarado o seu apoio ao magnata nova-iorquino. “Penso que ele tocou uma parte do eleitorado que não gostar da maneira como o nosso país está”, disse, acrescentando que não tem “problemas nenhuns em apoiar Trump”.

Agora, as próximas (e também últimas) votações que se seguem no Partido Republicano passam a ser, mais do que nunca, uma mera formalidade. Estão marcadas para 7 de junho e estão em causa 303 delegados.

A menos de dois meses da convenção do partido, esta é a confirmação derradeira de que Donald Trump disputará as eleições de 8 de novembro pelos republicanos. Ainda assim, esse cenário já tinha sido dado como praticamente certo, depois de os seus últimos adversários, John Kasich e Ted Cruz, terem desistido da corrida no início de maio. Nessa altura, o presidente do Conselho Nacional Republicano, o órgão mais alto do partido, Reince Priebus, referiu-se a Donald Trump como o “presumível candidato” dos conservadores.