As manifestações contra a reforma laboral desenhada pelo Governo de Manuel Valls estão a ter repercussões em todo o território francês. Em Bordéus, um grupo de cem manifestantes atacou uma esquadra da polícia, provocando estragos consideráveis num carro patrulha.

De acordo com relatos da imprensa local, as manifestações estendem-se a outras cidades francesas. Além das manifestações em Bordéus — que juntaram entre 3 a 13 mil pessoas –, em Lyon, as autoridades apontam para 3 mil manifestantes. Em Caen, no norte do país, há registos de grupos de 2 a 7 mil manifestantes. Em Marselha, Rennes e Valenciennes também há relatos de largos grupos de manifestantes.

Mas os relatos mais intensos chegam de Paris. De acordo com o jornal francês Les Echos, cerca de 19 mil pessoas participaram numa marcha organizada pelas forças sindicais.

Uma centena de jovens mascarados envolveu-se em confrontos com a polícia em Paris, à margem da manifestação. O grupo desviou-se para uma rua transversal ao trajeto da manifestação, onde iniciou vários atos de vandalismo, e lançou garrafas contra elementos da polícia, que ripostou com granadas de gás lacrimogéneo.

Por todo o país, há registos de vários confrontos entre manifestantes e forças policiais. Em Paris e em Nantes, os manifestantes partiram as montras de várias instituições financeiras. A polícia tem respondido com gás lacrimogéneo e já fez várias detenções.