O Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, fechou nove rotas este verão, das quais seis eram operadas pela TAP, enquanto o aeroporto do Porto perdeu quatro rotas, sendo metade responsabilidade da transportadora aérea nacional.

De acordo com dados da ANA – Aeroportos de Portugal, desde 27 de março, data que assinala o arranque do verão na aviação comercial, Lisboa deixou de ter voos com destino a Bamako, capital do Mali, Bogotá, cidade do Panamá, Manaus, Gotemburgo e Hanôver, que eram operados pela TAP e foram suspensos pelos novos donos da companhia por serem deficitários; e ainda Dole, Kiev e Moscovo.

Já o aeroporto do Porto perdeu quatro rotas — Milão e Roma, canceladas pela TAP, Maastricht e Londres (Heathrow), pela Ryanair e British Airways, respetivamente.

Também em termos de rotas canceladas por uma companhia, que continuam a ser asseguradas por outras, o aeroporto de Lisboa perde face ao Porto: quatro contra duas.

A TAP deixou de voar para Bucareste, Budapeste, São Paulo (Viracopos) e Zagrebe, destinos que continuam a existir a partir de Lisboa; enquanto no Porto foram apenas dois os destinos descontinuados por uma companhia e assegurados por outra – Barcelona e Bruxelas.

O arranque do verão na aviação comercial — que se prolonga até 29 de outubro — foi marcado pela forte contestação do Porto, liderada pelo presidente da câmara, Rui Moreira, contra a suspensão de rotas pela TAP, apontadas como deficitárias pela transportadora liderada por Fernando Pinto.

Segundo os dados da gestora aeroportuária, o aeroporto de Lisboa é também o que oferece este verão mais novas rotas, num total de 11, enquanto o Porto tem três novas: Colónia, Copenhaga e Varsóvia.

Atualmente, o aeroporto de Lisboa conta com 121 rotas, asseguradas por 48 companhias aéreas, e o aeroporto do Porto com 73 rotas, servidas por 20 transportadoras.

Este verão, dez companhias estrearam-se no aeroporto lisboeta, face a uma no aeroporto Francisco Sá Carneiro.