Mais de 2.000 pessoas na Índia afirmaram ter sido infetadas com VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) devido a transfusões de sangue, entre outubro de 2014 e março de 2016, anunciaram esta quarta-feira fontes oficiais.

A Organização Nacional de Controlo da Sida (NACO, na designação em inglês), dependente do Ministério da Saúde indiano, revelou os dados a pedido do ativista Chetan Kothari, o qual reclamou as estatísticas com base na Lei do Direito à Informação (RTI).

A NACO emitiu um relatório no qual se assinala que 2.234 pessoas foram infetadas com VIH devido a transfusões de sangue durante um período de 17 meses. O Estado indiano de Uttar Pradesh (norte) foi o mais afetado, com um total de 361 casos, seguido de Gujarat (oeste) com 292 e Maharashtra (oeste) com 276.

O secretário adjunto da NACO, N. S. Kang, explicou que esses dados “não são científicos”, pois apenas se baseiam nas respostas fornecidas pelos infetados com VIH, quando lhes perguntaram como se deu o contágio.

“Não sou nenhum estatístico, mas estou seguro de que as pessoas em vez de dizerem que foram infetadas por transmissão sexual ou ao partilhar uma seringa enquanto se drogavam, preferem dizer que se deveu a uma transfusão de sangue”, disse Kang.

O secretário adjunto da NACO lamentou ainda “o erro” de não ter explicado a falta de base cientifica dos dados, quando a informação foi facultada.

O ativista afirmou que pediu a informação porque “muitas pessoas são infetadas com VIH ao receber uma transfusão de sangue, mas que depois esses dados não são tornados públicos”, e acrescentou que agora esperam pela “reação do Governo para ver que ações irá tomar a este respeito” de forma a evitar que este tipo de contágios se repitam.

Kothari especializou-se em destacar casos de interesse público, fazendo uso da Lei do Direito à Informação.

De acordo com dados oficiais de 2011, os últimos disponíveis, a Índia é o terceiro país do mundo com mais infetados pelo vírus VIH/SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), com cerca de dois milhões de casos, o que perfaz 0,27% entre a população.