O jornalista da RTP António Esteves Martins vai ser o novo porta-voz para a imprensa e informação da Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia, confirmou o próprio ao Observador. Correspondente em Bruxelas, sai da estação pública em “desconforto” com a atual direção da estação pública e assume que as novas funções na Reper são para “trabalhar pelo país”. A saída já foi comunicada ao presidente do Conselho de Administração da RTP e tem efeitos a partir de julho.

O convite foi feito “há dois meses”, mas o jornalista terá hesitado antes de dizer que sim. “Inicialmente achei que não, e pedi para pensar”, diz, explicando que apenas aceitou o convite por considerar que se trata de “um convite para trabalhar pelo país”.

António Esteves Martins não esconde no entanto o “desconforto” que sentia “há mais de um ano” em relação à atual direção da RTP, nomeadamente ao diretor de informação, Paulo Dentinho, dizendo mesmo que se sentia persona non grata” na estação pública de televisão. Esse terá sido um dos motivos para aceitar o cargo na representação diplomática do Estado português junto da Europa.

O mais recente desentendimento entre o jornalista e a direção de informação ocorreu no passado mês de março aquando dos atentados terroristas ao aeroporto e estação de metro de Bruxelas. António Esteves Martins estaria de férias na altura, fora da Bélgica, e a falta de cobertura do repórter motivou comentários da parte do provedor do telespectador Jaime Fernandes, que teceu críticas no programa “A voz do cidadão”.

O episódio gerou desentendimento entre o jornalista e o diretor de informação, bem como o sub-diretor Vítor Gonçalves. No rescaldo, Esteves Martins comentou a uma revista que a RTP era “uma boa casa”, mas andava “mal frequentada”.

A decisão da saída já foi comunicada ao presidente do Conselho de Administração da RTP, Gonçalo Reis. António Esteves Martins estava na RTP desde 1991.

A Reper é a maior representação diplomática portuguesa, sendo composta por diplomatas e técnicos especializados que preparam e tratam as informações relativas aos vários ministérios junto da União Europeia. Conta com cerca de 90 funcionários. Maria João Furtado é atualmente a porta-voz da Reper para a informação e imprensa.