O Tribunal de Coimbra condenou hoje a 18 anos de prisão o jovem de Arganil acusado de empurrar a namorada, de 20 anos, de um penhasco abaixo, no concelho de Tábua, a 25 de julho de 2014.

O jovem de 20 anos foi condenado pelo crime de homicídio qualificado, considerando o juiz que presidiu ao coletivo que a atuação do arguido “cai no limite daquilo a que se chama uma pessoa amoral”.

O coletivo do Tribunal de Coimbra deu como provado quase todos os factos presentes na acusação do Ministério Público (MP), acrescentando que não se provou que a vítima terá tido relações sexuais com o arguido no dia do crime e que esta estaria ainda viva após a queda.

O Ministério Público (MP) acusou o jovem natural de Arganil, distrito de Coimbra, de homicídio qualificado e profanação de cadáver, alegando que este empurrou a namorada de uma altura de 15,5 metros, junto ao rio Alva, no concelho de Tábua.