O processo arrastou-se durante 10 anos, até ser conhecido o veredicto: um tribunal federal alemão deliberou que Mercedes-Benz vai ter de deixar de vender o sistema de aquecimento do pescoço Airscarf na Alemanha, devido ao facto de esta tecnologia estar abrangida por uma patente que, afinal, não pertence ao fabricante alemão, embora este a comercializasse desde 1998 em todos os seus descapotáveis.

Para além disso, a marca da estrela foi obrigada a desactivar o Airscarf nos automóveis vendidos na Alemanha desde o dia 9 de Maio. A Daimler, proprietária da marca Mercedes, arrisca ainda uma multa na ordem dos 250 mil euros, caso desrespeite de alguma forma a decisão judicial.

Contudo, a Mercedes poderá voltar a utilizar o sistema Airscarf após 25 de Dezembro de 2016, data em que a patente expira.