A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, enalteceu esta sexta-feira a diversidade do país contra os “muros” propostos pelo republicano Donald Trump, durante uma cerimónia em uma universidade de Nova Iorque.

“Aqui nos Estados Unidos não vamos sucumbir ao medo, não deixamos que as nossas diferenças nos dividam, nem construímos muros para deixar as pessoas de fora”, disse Michelle Obama, durante uma cerimónia na City College of New York.

Na cerimónia, Michelle Obama aproveitou para alertar para os líderes que “demonizam” as pessoas por serem diferentes, para quem a diversidade é uma “ameaça” e para os que propõem a “raiva” e a “intolerância” como pilares.

“É o poder das nossas diferenças que nos permite ser mais inteligentes e criativos (…) porque sabemos que a nossa grandeza vem de saber apreciarmos os pontos fortes dos outros”, afirmou Michelle Obama, perante cerca de 4.000 estudantes.

A primeira-dama salientou que naquela universidade estudam alunos de 150 nacionalidades, onde todos os dias são faladas mais de 100 línguas, transformando o local num “paraíso”, porque não é preciso esconder os nomes e os sotaques.

“O talento e o esforço, combinados com formação e uma experiência de vida diversificada, sempre foram a força motriz da singular engenhosidade norte-americana”, disse, acrescentando que aqueles alunos são a melhor prova de que o sonho norte-americano ainda continua.