Yamato Tanooka foi encontrado vivo por militares japoneses esta sexta-feira. O rapaz japonês de sete anos tinha sido deixado na berma da estrada pelos pais, como forma de castigo e, quando estes regressaram para o ir buscar, a criança tinha desaparecido. Yamato passou seis dias sozinho na floresta.

A criança foi encontrada numa caserna utilizada por militares, a cinco quilómetros do lugar onde os pais o tinham deixado. Segundo informa o The Guardian, Yamato apresentava apenas alguns cortes, não tendo nenhum ferimento grave. Quando foi encontrado os militares perguntaram se ele era o Yamato. A criança respondeu simplesmente que sim.

Tinham-se passado seis dias em que a criança sobreviveu numa floresta com centenas de ursos e temperaturas que atingiram os 7 graus centígrados.

O médico que examinou a criança japonesa, na ilha de Hokkaido, afirmou que a criança se apresentava bastante calma – “para quem tinha estado sete dias desaparecido” – tendo ainda acrescentado que Yamato não “tinha entrado em pânico”.

34DF4A0E00000578-3622997-image-a-7_1464935261675

O colchão onde Yamato foi encontrado, na caserna militar.

Yamato viajava de carro com os pais quando estes lhe disseram para sair do carro por se estar a comportar mal – a criança tinha alegadamente atirado pedras a carros e a pessoas. A criança foi então deixada na berma da estrada, sem água nem comida. A intenção dos pais era ir buscá-lo pouco tempo depois, mas quando voltaram, a criança tinha desaparecido.

A criança terá pensado que os pais o tinham abandonado de vez e que não voltariam, por isso decidiu entrar na floresta até encontrar um portão duma instalação de treino para militares. A criança terá então escalado, ou passado por baixo da vedação até atingir uma caserna de ferro onde ficou a pernoitar. Por norma as portas estão fechadas, mas desta vez a criança teve sorte e uma das portas terá sido deixada aberta.

Na parte de fora da caserna existia uma torneira de água, que terá providenciado o único alimento consumido por Yamato durante as seis noites de provação por que passou.

Sexta-feira de manhã um grupo de militares encontrava-se a praticar manobras quando se dirigiu para a caserna para procurar abrigo da chuva. Ao entrarem deram com a criança deitada em cima de um colchão. Quando o acordaram perguntaram-lhe se era o Yamato e a criança respondeu que sim e que tinha ficado na cabana muitas noites e que não comia nada há quase uma semana. Os soldados deram-lhe duas bolas de arroz e chamaram um helicóptero que levou a criança para o hospital.

Takayuki Tanooka meets with reporters on June 3, 2016, in the northern Japan city of Hakodate, after his 7-year-old son Yamato was found safe after being left behind in mountain forests on May 28 as punishment for misbehaving. The 44-year-old father apologized for trouble he caused. (Photo by Kyodo News via Getty Images)

O pai de Yamato frente ao hospital depois de o filho ter sido encontrado.

Quando reportaram o desaparecimento às autoridades, os pais disseram que a criança tinha desaparecido enquanto passeavam pela floresta, para apanhar vegetais. No entanto, mais tarde, confessaram ter abandonado a criança como forma de castigo.

O pai de Yamato, Takayuki Tanooka, falou com os jornalistas no hospital de Hakodate, depois de a criança ter sido encontrada, afirmando:

A primeira coisa que fiz foi pedir-lhe desculpa por lhe ter causado uma memória tão má e que estava bastante arrependido.”

A criança terá alegadamente desculpado os pais que também pediram desculpa à escola do filho e a todos os outros que se tinham envolvido nas buscas por Yamato ao longo de sete dias.

Tanooka afirmou ter “ido longe de mais” no castigo que deu ao filho e que iriam, a partir daquele momento, dar “ainda mais atenção” ao filho.