Pelo menos seis pessoas morreram no sul da Alemanha devido a inundações provocadas pelo forte temporal que assolou quarta-feira a região, elevando para 10 mortos desde o fim de semana, perante a ameaça de mais chuvas.

As autoridades do Estado federado da Baviera relataram quinta-feira a descoberta de um sexto cadáver, um homem de 65 anos, na localidade de Simbach, onde já antes tinham sido recuperados os corpos sem vida de outras quatro vítimas – uma avó, uma mãe e uma filha, de 78, 56 e 28 anos, respetivamente, e de um homem de 75.

Na localidade vizinha de Julbach foi recuperado também um outro corpo de uma mulher 80 anos.

Juntamente com as tarefas de limpeza, esta manhã continuava a busca de outras duas pessoas desaparecidas, um casal de aposentados.

“O mais importante hoje é restabelecer o fornecimento de água potável e a rede de estradas”, declarou um porta-voz do distrito de Rottal-Inn, distrito onde se estima que os danos causados pelas inundações ascendam a centenas de milhões de euros.

Esta sexta-feira de manhã, o temporal deu uma pequena trégua, no entanto, o Serviço Alemão de Meteorologia anunciou chuvas fortes e tempestades previstas para todo do dia na Baviera, embora seja improvável que as zonas inundadas possam voltar a ser afetadas.

Entretanto, também em França, 13 departamentos mantêm-se esta sexta-feira em alerta, devido às fortes chuvadas que têm assolado o país, em especial a região parisiense, onde se espera que o rio Sena alcance a meio do dia seis metros de altura.

De esses 13 departamentos, segundo o serviço de meteorologia Meteo France, 12 encontram-se em alerta laranja, o que obriga a população a aumentar a sua vigilância pelo risco existente e evitar atividades que possam colocar a sua segurança em risco, e um deles, o de Seine-et-Marne, em alerta vermelho, o mais alto.

Um homem de 74 anos morreu quinta-feira neste último departamento e a ministra da Ecologia, Segolene Royal, indicou esta sexta que enquanto não baixar o nível das águas não se descarta a possibilidade de encontrar outras vítimas.

O Presidente francês, François Hollande, anunciou também na quinta-feira que, na próxima quarta-feira, no Conselho de Ministros, será declarado o Estado de Catástrofe Natural para as zonas mais afetadas pelo temporal.