Os utilizadores do Facebook no smartphone andam a ficar cada vez mais chateados com as investidas da empresa de Mark Zuckerberg no sentido de obrigar a instalar o Messenger para “conversar” com amigos – uma aplicação autónoma da rede social, mais pesada e que consome mais bateria. Daí que a internet esteja a ser inundada de conselhos sobre o que fazer: um deles é simplesmente desinstalar a app do Facebook e passar a usar apenas a versão web. “Não caiam na armadilha”, alerta o jornal espanhol El Confidencial, que avança com seis motivos para desinstalar a aplicação e passar a usar apenas o Facebook através do Safari ou do Chrome.

Adeus ao Messenger

Livrar-se de vez da obrigatoriedade de aderir ao Messenger é precisamente uma das vantagens mais apontadas pelos que aconselham a usar a versão www.facebook.com no telemóvel, em vez da aplicação descarregada da Apple Store ou da Google Play Store. Assim, evita-se receber permanentemente os avisos de que “as suas conversas vão ser movidas para o Messenger” e de que “em breve só vai conseguir ver as suas mensagens a partir do Messenger”. Ou seja, quer queira ou não instalar a app, terá de o fazer.

messenger

Certo é que quem tem tido relutância em migrar as conversas de chat do Facebook para a aplicação autónoma do Messenger, tentativa que a empresa já anda a fazer desde 2014, fá-lo por uma razão: é uma aplicação mais pesada, ocupa mais espaço no armazenamento do dispositivo, e consome mais bateria.

Contudo, pelo que temos vindo a testar, este acesso web deixará de ser viável a curto prazo. Sendo um serviço de troca de mensagens cada vez mais popular (900 milhões de utilizadores), a instalação da aplicação Messenger acabará por ser inevitável, caso queria continuar a comunicar por aí.

Perante isto, e para manter o bom desempenho do telemóvel, recomendamos que:

  • se for utilizador de iPhone ou iPad e tiver pouco espaço de armazenamento (16 GB ou menos), desinstale ambas as aplicações com regularidade, para limpar os ficheiros temporários que estas vão guardando.
  • se o seu smartphone correr o sistema Android, apague os ficheiros temporários periodicamente, através da opção disponível nas definições (limpeza de armazenamento) – neste caso, não é necessário desinstalar a app.

Poupar bateria

A aplicação do Facebook consome muita bateria, em parte devido aos vídeos que são reproduzidos automaticamente e aos serviços de geolocalização que são usados em paralelo. Um repórter do Guardian chegou mesmo a fazer o teste, desinstalando a app e acedendo durante uma semana ao Facebook através do Safari e conseguiu poupar até 15% da bateria do iPhone.

Na versão web o utilizador só vê os vídeos partilhados na rede se clicar para ver, uma vez que, ao contrário do que acontece na app (se tiver ligação Wi-Fi), não têm reprodução automática.

Sem bugs

Como qualquer app, a aplicação do Facebook não está livre de falhas e erros técnicos. Recentemente a rede social admitiu até ter feito uma experiência para diminuir a eficácia da aplicação em Android com a intenção de testar até que ponto irritava os utilizadores. Usando o Facebook no Safari ou noutro browser não há problemas destes.

Sem notificações

Pode ser uma vantagem ou um inconveniente, dependendo do grau do vício na ligação a esta rede social. É certo que utilizando a aplicação qualquer utilizador pode desativar as notificações para não ser avisado sempre que receba um novo comentário ou “like”, mas se o acesso ao Facebook for feito diretamente pelo site, essa questão não se põe.