O nível das águas do Sena desceu ligeiramente sábado de manhã, em Paris, pela primeira vez numa semana, para 6,07 metros cerca das 06:00 locais (04:00 TMG), depois de ter atingido os 6,10 metros durante a madrugada.

Os dados foram divulgados pelo serviço de prevenção Vigicrues.

Após oito horas de subida contínua, o Sena regressou ao nível de sexta-feira às 20:00 em Paris, confirmando um abrandamento da subida das águas.

A ministra do Ambiente, Ségolène Royal, considerou na sexta-feira provável que o nível estabilizasse “entre os 6,10 metros e os 6,40 metros durante a noite”.

Por enquanto mantém-se abaixo da marca de 1982 (6,18 metros) e longe da cheia histórica de 1910 (8,62 metros).

As “hipóteses mais desfavoráveis” do ministério apontam para um máximo de 6,50 metros.

A Météo-France espera cheias para este fim de semana, mas “sem comparação” com as registadas no anterior.

Face a uma subida do Sena ao nível mais alto dos últimos 30 anos, Paris adotou na sexta-feira uma série de medidas preventivas: os museus do Louvre e d ´Orsay permanecem encerrados, tal como os cais e os barcos, e foram erguidas barricadas.

As chuvas diluvianas que se abateram sobre a Europa esta semana, causaram pelo menos 16 mortes.

A subida das águas não fez estragos significativos na capital. À semelhança de outros 12 departamentos, Paris encontra-se em alerta laranja.