O agente do Serviço de Informações de Segurança Frederico Carvalhão Gil, que foi detido em Itália a vender informações secretas da NATO a um espião russo, já está em Portugal, depois de ter sido alvo de um processo de extradição.

Carvalhão Gil aterrou em Lisboa esta noite onde tinha agentes da Polícia Judiciária à espera para o escoltarem até às instalações policiais onde ficará detido. O espião vai permanecer detido em Lisboa e será presente a um primeiro interrogatório judicial esta segunda-feira, onde será ouvido pelo juiz Ivo Rosa do Tribunal Central de Instrução Criminal. Aí deverão ser aplicadas as medidas de coação.

O agente do SIS foi detido em flagrante delito, em Roma, a vender informações da NATO a um espião russo, detentor de passaporte diplomático, no âmbito de uma investigação que envolveu o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), a Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo (UNCT) da PJ, que deslocou investigadores a Itália, e a EUROJUST.

Em causa estão crimes de espionagem, violação de segredo de Estado, corrupção e branqueamento relacionados com suspeitas de transmissão de informações, a troco de dinheiro, por parte do funcionário do SIS ao agente dos serviços de informações russos.

Na sequência das detenções em Roma foram também realizadas buscas domiciliárias em Portugal.

Portugal também pediu a extradição do agente russo, mas terá de ser um tribunal a decidir sobre o pedido de extradição.