José Peseiro, apresentado como novo treinador do Sporting de Braga para as próximas duas temporadas, deseja reduzir a diferença para os três ‘grandes’ do futebol português e prometeu jogar para vencer em todos os jogos.

Quatro anos depois de ter sido dispensado por António Salvador, José Peseiro regressa ao clube bracarense, “um ato de justiça”, considerou hoje o presidente ‘arsenalista’.

O técnico confessou-se surpreendido pelo convite do líder minhoto e revelou tê-lo aceitado por acreditar no “projeto de continuidade” que lhe foi apresentado, “cimentado no sucesso organizativo, estrutural e desportivo”.

Questionado sobre se o Braga lutará pelo título, respondeu: “a distância é muito grande, o que queremos é reduzir essa distância.”

“Sabemos que não é fácil querer pertencer aos quatro primeiros do futebol português, manter uma luta contra equipas que têm recursos e argumentos maiores. O Braga quer reduzir essa diferença no plano desportivo e, para isso, contamos com vocês [adeptos] nos momentos melhores e menos bons”, afirmou no palanque montado no Largo do Paço, no centro da cidade, perante algumas centenas de adeptos.

Estabeleceu como “primeiro e grande objetivo encarar cada jogo para vencer, sem receios e com a confiança transmitida pela força que o Braga possui neste momento”.

“Depois, cimentar a posição nos quatro primeiros da Liga, chegar às finais das taças, tal como tem feito nos últimos anos, cimentar a força europeia, pelo menos com objetivo de passar a fase de grupos e o último, que será o primeiro, estaremos na final da Supertaça para vencer”, elencou.

O treinador, que ao serviço do FC Porto perdeu para o Sporting de Braga a Taça de Portugal, frisou ainda que “excesso de ambição não é mau, se calhar foi isso que levou o Braga até onde chegou”.

José Peseiro (pela segunda vez nos minhotos) é o 14.º treinador de António Salvador em 13 anos como presidente do clube bracarense, depois de Fernando Castro Santos, Jesualdo Ferreira (por duas vezes), Carlos Carvalhal, Rogério Gonçalves, Jorge Costa, Manuel Machado, António Caldas, Jorge Jesus, Domingos Paciência, Leonardo Jardim, Jorge Paixão, Sérgio Conceição e Paulo Fonseca.

O técnico vai ser coadjuvado por Alexandre Santos, Ricardo Dionísio, Vítor Hugo (que transitam do FC Porto) e Vital, único elemento da equipa técnica de Paulo Fonseca que permanece, cabendo-lhe o treino dos guarda-redes.