Um comerciante de 62 anos foi detido esta terça-feira pela GNR por suspeitas de vender tabaco ilegalmente na zona de Valongo. As autoridades apreenderam-lhe quase um milhão e meio de cigarros e suspeitam que se abastecesse no estrangeiro para, depois, vender a comerciantes conhecidos. Esta não foi a primeira vez que o homem foi detido pelo crime aduaneiro de introdução fraudulenta no consumo.

Segundo o tenente-coronel Messias, da Unidade de Ação Fiscal da GNR, o suspeito foi intercetado quando seguia de carro com várias caixas de tabaco no interior. Seguiram-se duas buscas domiciliárias a duas garagens do suspeito, onde foram apreendidos um total de 1.465.700 cigarros de várias marcas. Os maços tinham inscrições em estrangeiro e não dispunham de qualquer estampilha fiscal, pelo que a GNR suspeita que o comerciante fosse ao estrangeiro abastecer-se.

“A investigação prossegue para apurar onde é que o suspeito ia comprar o tabaco. Mas seria no estrangeiro”, diz o oficial.

O suspeito introduzia o tabaco no mercado legal através de comerciantes amigos e fazia disso uma atividade paralela que lhe renderia “muito dinheiro”. O tenente-coronel Messias lembra que o tabaco apreendido valia 300 847 euros. “Cada maço atualmente no mercado anda na casa dos 4,20 / 4,50 euros. Estes estão na casa dos 2,5 / 3 euros”, explicou.

O homem vai ser presente a tribunal para aplicação de medidas de coação.