A ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton terá já conseguido esta segunda-feira alcançar o número de delegados necessários para ser confirmada como candidata do Partido Democrata nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, segundo uma contagem feita por diversos meios de comunicação norte-americanos.

Depois da vitória no domingo em Porto Rico contra o senador Bernie Sanders e com os novos apoios dos “superdelegados” (que têm a liberdade de apoiar quem quiserem) arrecadados nos últimos dias, Hillary Clinton superou, segundo os cálculos da televisão NBC, os 2.383 delegados necessários para a nomeação. Hillary conseguiu ao todo 1.812 delegados e 572 superdelegados, um total de 2.384.

Esta terça-feira os cidadãos de seis estados americanos, Califórnia, Dakota do Norte, Dakota do Sul, Montana, Nova Jérsia e Novo México, vão participar em mais uma ronda das primárias do Partido Democrata. Hillary Clinton afirmou durante um comício na Califórnia, esta segunda-feira: “Estamos à beira de um momento histórico e sem precedentes. Mas ainda temos trabalho pela frente, não é? Temos seis eleições amanhã e vamos lutar com força por todos os votos, especialmente aqui”, disse a candidata citada pela CNN. Também a cadeia americana dá como certa a nomeação da antiga secretária de Estado na convenção dos democratas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Casa Branca deu indícios de que Obama deverá tornar público o seu apoio a Clinton a partir desta terça-feira, depois das eleições nos seis estados, adiantou ainda a CNN.

Com os resultados atingidos esta segunda-feira, a ex-primeira dama será provavelmente nomeada candidata na convenção que os democratas realizam em julho em Filadélfia (estado da Pensilvânia) e deverá enfrentar nas eleições o candidato oficioso do Partido Republicano, Donald Trump. Caso este cenário se verifique, Hillary Clinton será a primeira mulher na história dos Estados Unidos a representar um dos dois grandes partidos nas eleições presidenciais

A ex-secretária de estado afirmou ainda durante o comício que esperava contar com o apoio de Bernie Sanders para unificar o Partido Democrata para a a luta conjunta contra Donald Trump.

O senador do Vermont candidato à nomeação do Partido Democrata, Bernie Sanders, afirmou que continuará a realizar a sua campanha, já que as intenções de voto dos superdelegados podem alterar-se até 25 de julho, dia em que deverão votar.

As eleições presidenciais norte-americanas realizam-se em novembro.