Cerca de 2,6 mil milhões de euros. Esta é a quantia que o governo está disposto a abdicar de modo a resolver o problema da poluição, que assola a capital da Índia — Nova Deli, onde moram cerca de 16 milhões de pessoas, é atualmente a 11.ª cidade mais poluída no mundo, escreve o site Quartz.

É mesmo caso para tanto investimento, uma vez que o ar tóxico será responsável pela morte de 30 mil pessoas. As partículas finas PM2.5 presentes no ar da cidade excedem 13 vezes mais as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Uma vez que parte da poluição é atribuída aos quase 9 milhões de veículos na cidade, um comité designado pelo Ministério do Desenvolvimento Urbano, e criado originalmente em novembro de 2014, propôs um número de medidas de forma a reduzir o congestionamento do tráfego na cidade.

Tudo não passa ainda de uma proposta que visa combater a explosão dos automóveis na cidade e que assenta num maior incentivo ao uso de transportes públicos, incluindo aqueles não motorizados. A corroborar esta tese está o facto de, segundo o comité, cerca de 60% das viagens de passageiros em Nova Deli cobrirem menos de quatro quilómetros, enquanto 80% delas cobrem menos de seis quilómetros. Até 2021, são esperadas 28 milhões de viagens diárias de passageiros na cidade.

Entre as medidas visadas está a aquisição imediata de 2 mil autocarros e outros 4 mil numa fase seguinte, bilhetes de autocarro mais acessíveis do que o custo por quilómetro feito num veículo de duas rodas ou a proibição de estacionamento de automóveis em passeios.