O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) já tem um novo presidente: o Governo escolheu António Luís Valadas da Silva, técnico do IEFP desde 1985 e ex-adjunto do gabinete de Eduardo Ferro Rodrigues, no governo de António Guterres. O novo dirigente assume o cargo em regime de substituição a partir de 14 de junho, revelou esta quarta-feira o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em comunicado.

O novo diretor do IEFP foi adjunto do gabinete de Ferro Rodrigues quando o atual Presidente da Assembleia da República era ministro do Trabalho, nos governos de António Guterres, entre 1998 e 2001. Antes de ser nomeado, Valadas da Silva era conselheiro para os Assuntos do Trabalho e Emprego na Missão Permanente de Portugal junto dos Organismos e Organizações Internacionais em Genebra (NUOI), cargo que desempenhava desde 2009.

O Governo realça “o vasto curriculum profissional e académico deste novo dirigente, sempre ligado às áreas do trabalho, emprego, assuntos sociais e formação profissional, tanto a nível nacional como internacional”. Além disso, destaca “o facto de ser, desde 1985, quadro superior do instituto que agora vai liderar”, lê-se no comunicado.

Valadas da Silva é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa e tem o diploma do Curso Avançado de Gestão Publica do Instituto Nacional de Administração (INA). Também tem o Curso de “Contencioso Comunitário”, também pelo INA. Foi Vice-presidente do Conselho Diretivo do Instituto de Gestão do Fundo Social Europeu de 2001 a 2002 e Presidente do mesmo instituto de 2002 a 2008, cargos de nomeação para os quais foi escolhido durante o governo de Durão Barroso e quando Bagão Félix era ministro do Trabalho.

O anterior presidente do IEFP, Jorge Gaspar, demitiu-se do cargo e cessou funções a 1 de junho. Apesar de Vieira da Silva ter renovado não só a restante direção do IEFP, bem como os delegados regionais, tinha convidado Jorge Gaspar a manter-se no cargo de presidente. Contudo, Jorge Gaspar acabou por sair, sem avançar publicamente os motivos da sua demissão.