Cavalgando o êxito que foram as reacções dos seus clientes ao McLaren P1 com carroçaria em fibra de carbono, a McLaren Special Operations (divisão de veículos especiais e personalização da McLaren) decidiu aplicar semelhante tratamento ao 675LT Spider. O modelo passa a contar com mais 40% dos painéis da carroçaria em carbono, todos eles usufruindo ainda de um exclusivo acabamento brilhante, nomeadamente o tejadilho removível electricamente, os pilares dianteiros, o capot e a tampa do compartimento do motor, as lâminas laterais, os quatro guarda-lamas e mesmo a portinha de acesso ao depósito de combustível.

A mecânica é a já conhecida do 675LT Spider “normal”: motor 3.8-V8 biturbo com 657 cv e 700 Nm, apto a permitir a este superdesportivo cumprir os 0-100 km/h em 2,9 segundos, e os 0-200 km/h em 8,1 segundos – sendo a velocidade máxima de 326 km/h. Do equipamento de série passa a fazer parte o pacote McLaren Track Telemetry, em que se incluem três câmaras destinadas a uma utilização em circuito.

A produção está limitada a não mais do que 25 exemplares, já todos vendidos. Em jeito de compensação, todos os elementos que compõem a denominada MSO Carbon Series LT são possíveis de aplicar a qualquer 657LT Spider já em circulação, o que acaba por elevar a produção total deste modelo para 525 unidades.

MSO Carbon Series LT_02