O Brasil deverá ser denunciado na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), esta quarta-feira, por ter falhado em proteger 3,2 milhões de pessoas atingidas pelo desastre ambiental em Mariana, Minas Gerais.

A CDIH vai analisar se o estado brasileiro foi omisso após a rutura de uma barragem, em novembro de 2015.

O acidente deixou 19 mortos e um rasto de contaminação desde o interior até ao litoral, sendo considerado o maior desastre socioambiental da história do país.

A denúncia será apresentada por 15 organizações da sociedade civil durante uma audiência hoje, em Washington, que a CDIH vai transmitir em direto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As entidades selecionaram diversos casos, incluindo a rutura da barragem da Samarco, em que alegam que houve graves violações de direitos humanos.

As organizações também se posicionarão contra o acordo firmado entre as empresas responsáveis pelo acidente e o governo brasileiro, denunciando a falta de participação dos atingidos na definição das multas e no planeamento das ações de recuperação da área atingida.