Ao sabor do moicano de Marek Hamsik. O capitão do Nápoles também é o líder da equipa que é rápida a atacar por dois extremos destros e frenéticos, que gostam mais de rematar do que cruzar: Vladimir Weiss e Miroslav Stoch, ambos a jogarem em país mais oriente do que a ocidente (Bursaspor, da Turquia, e Al Gharafa, do Qatar). Apesar de estar a murchar no Liverpool, o central Martin Skrtel é a rocha que manda lá atrás na seleção que, pela primeira vez, vai jogar um Campeonato da Europa.

Apenas perderam com a Espanha durante a qualificação e não é preciso entendermos eslovaco para percebermos que isso já quer dizer muita coisa. Mais ainda quando derrotaram a Alemanha por 3-1 num jogo particular que as seleções realizaram a duas semanas de arrancar o Europeu.
separador_o_onze

Matúš Kozáčik; Peter Pekarík, Tomás Hubocan, Martin Skrtel e Ján Durica; Viktor Pečovský, Juraj Kucka e Marek Hamsik; Vladimir Weiss, Miroslav Stoch e Adam Nemec.

separador_treinador

Ján Kozák

craque (2)

Marek Hamsik

https://www.youtube.com/watch?v=E7j4t1etQsQ

Convocados

Guarda-redes: Matus Kozacik (Viktoria Pilsen), Jan Mucha (Slovan Bratislava) e Jan Novota (Rapid Viena)

Defesas: Peter Pekarik (Hertha Berlim), Milan Skriniar (Sampdoria), Martin Skrtel (Liverpool), Norbert Gyoember (Roma), Jan Durica (Lokomotiv Moscovo), Kornel Salata (Slovan Bratislava), Tomas Hubocan (Dinamo Moscow), Dusan Svento (Colónia) e Lukas Tesak (Almaty)

Médios: Viktor Pecovsky (MSK Zilina), Matus Bero (AS Trencin), Robert Mak (PAOK), Erik Sabo (PAOK), Juraj Kucka (AC Milan), Patrik Hrosovsky (Viktoria Pilsen), Jan Gregus (Jablonec), Stanislav Sestak (Ferencvaros), Marek Hamsik (Nápoles), Ondrej Duda (Legia Varsóvia), Miroslav Stoch (Bursaspor) e Vladimir Weiss (Al Gharafa)

Avançados: Michal Duris (Viktoria Pilsen), Adam Nemec (Willem II) e Adam Zrelak (Slovan Bratislava)