A seleção portuguesa de futebol, que continua a preparar a estreia no Euro2016, realizou esta quinta-feira o primeiro treino em solo francês, perante cerca de 1.000 adeptos, que saudaram efusivamente os jogadores lusos, em particular Cristiano Ronaldo.

Poucas horas após ter aterrado em França, a seleção nacional teve o primeiro contato com o relvado principal do Centro Nacional de Râguebi, em Marcoussis, a cerca de 30 quilómetros de Paris, num apronto que durou uma hora e que foi totalmente aberto.

Nas bancadas estavam perto de 1.000 adeptos portugueses, que aproveitaram a ocasião para brindar os 23 atletas e o selecionador Fernando Santos com muitas palmas.

O ‘capitão’ Cristiano Ronaldo foi, de longe, o mais acarinhado, com incentivos constantes vindos da bancada, onde os adeptos chegaram mesmo a replicar o habitual ‘grito de guerra’ do avançado.

Na primeira sessão em Marcoussis, os jogadores começaram por realizar corrida e exercícios de aquecimento, antes de serem distribuídos em dois grupos para os habituais ‘meinhos’, sendo que o médio André Gomes acabou por abandonar o exercício logo na fase inicial, mas apenas por precaução, após ter magoado o ombro numa queda.

De seguida, nove dos 11 titulares no particular de quarta-feira com a Estónia recolheram aos bancos, enquanto os restantes 14 atletas – entre os quais Cédric e João Moutinho, também titulares no último encontro de preparação – participaram numa ‘peladinha’, que durou quase 20 minutos.

Na assistência estava José Godinho, um português emigrado em França “há 47 anos” e que recebeu um dos bilhetes oferecidos pelo consulado luso para assistir à sessão de treino.

“É uma grande alegria ter aqui a nossa seleção. Os nossos jogadores são todos bons, mas é preciso ganhar. Por mim, eles iam até à final, mas só espero que não aconteça o que aconteceu em Portugal, em 2004, com a Grécia. Se forem até às meias já seria bom”, disse à agência Lusa.

Já José Carlos Rêgo, um adepto do Sporting que se mudou para França “em 1972”, manifestou confiança no desempenho do conjunto das ‘quinas’, embora lembrando que “também é preciso sorte” para chegar longe no Euro.

“Espero que seja possível chegar à final e vencer o Europeu. É preciso ter sorte e a verdade é que nós costumamos ter algum azar, especialmente quando jogamos contra a França. Mas a equipa tem qualidade para ir longe”, referiu à Lusa.

O segundo treino da seleção nacional em solo francês está agendado para sexta-feira, dia de Portugal, de Camões e das comunidades, novamente em Marcoussis, às 10:30 (09:30 de Lisboa) e terá os primeiros 15 minutos abertos à comunicação social.

Durante todo o torneio, a comitiva lusa está instalada no Centro Nacional de Râguebi, em Domaine de Bellejame, em Marcoussis, a cerca de 30 quilómetros de Paris.

Portugal estreia-se no dia 14 de junho frente à Islândia, em Saint-Étienne, na primeira jornada do grupo F, que inclui ainda Áustria e Hungria.