Na sequência do escândalo das emissões que vem afectando o Grupo VW desde o Outono passado, e que levaram a Alemanha a realizar testes em automóveis de vários outros fabricantes, alguns órgãos de comunicação social germânicos afirmaram ter encontrado irregularidades também em motores diesel instalados em modelos da Fiat Chrysler. O visado era o 500X que, alegadamente, fazia uso de um dispositivo destinado a inibir o funcionamento dos sistemas de tratamento dos gases de escape, o que elevaria as emissões de poluentes, sobretudo dióxido de carbono, para valores excessivos.

150422_Fiat_500X-Melfi_03

Estas acusações e a recusa da Fiat Chrysler em participar numa reunião destinada a discuti-las – o que foi publicamente criticado pelo ministro dos Transportes alemão, Alexander Dobrindt – levaram as autoridades germânicas a solicitar às suas congéneres transalpinas a realização de testes.

Agora, segundo notícia avançada pela Reuters, foi o próprio ministro das Infra-estruturas e dos Transportes de Itália, Graziano Delrio, que veio a terreiro anunciar que os testes já foram efectuados e que os motores diesel avaliados cumprem na íntegra as normas de emissões em vigor. “Não foram encontrados quaisquer dispositivos ilegais em modelos diesel de outros fabricantes, à excepção dos já identificados em veículos da Volkswagen”, declarou o governante. “Excluímos quaisquer procedimentos enganosos ou fraudulentos”, acrescentou ainda Delrio, sublinhando que os modelos da Fiat provaram cumprir na íntegra as normas de emissões durante os testes “realizados em situações reais de condução”.