Naufrágios

O “Bom Jesus” estava no fundo do mar da Namíbia

1.023

Mineiros da Namíbia descobriram o navio "Bom Jesus" naufragado há quase 500 anos. A equipa de investigação descobriu que o navio terá naufragado no ano 1533, enquanto se dirigia para a Índia.

O tesouro encontrado dentro do navio foi avaliado em mais de 11 milhões de euros

Twitter

Mineiros namibianos descobriram um navio português – o “Bom Jesus” – que terá naufragado há quase 500 anos. Dentro do barco estava um carregamento de moedas de ouro que foi avaliado em cerca de 11,5 milhões de euros.

A notícia foi avançada pela Fox News, que afirma que o navio foi descoberto quando os mineiros que procuravam diamantes esvaziaram uma lagoa artificial no deserto da Namíbia.

Quando foi descoberto o navio, o arqueólogo Dieter Noli afirmou que não era muito surpreendente encontrar ali um navio – a área era conhecida pelos marinheiros como “Portões do Inferno” e há bastantes registos históricos de naufrágios no local. No entanto, o arqueólogo esperava encontrar, no máximo, “uma espada espanhola e um saco de ouro” e afirmou que não estava preparado para encontrar um tesouro daquela dimensão.

Entre o espólio do barco encontravam-se o tesouro, mosquetes, canhões, peças de cobre e “até mesmo espadas”.

A maior parte dos naufrágios naquela área ocorreram nos últimos 120 anos, informou Noli, que afirmou que o “Bom Jesus” é o barco naufragado mais antigo ali encontrado.

Depois de duas semanas de investigação, a equipa de arqueologia conseguiu desvendar que o “Bom Jesus” terá afundado por volta de 1535 a caminho da Índia.

Embora não sejam conhecidas as causas para o barco ter ido ao fundo, Noli afirma que, provavelmente, o mau tempo e o excesso de carga terão levado ao naufrágio do “Bom Jesus”.

Os bens dentro do navio terão sido oferecidos ao Governo de Portugal, mas este terá deixado os produtos resgatados ao governo namibiano, segundo o líder da investigação.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Abusos na Igreja

O Observador e os abusos na Igreja

Miguel Pinheiro

Como foi feito e por que foi feito o trabalho especial do Observador sobre abusos sexuais na Igreja portuguesa? Quais são as dúvidas e críticas dos leitores? E quais são as nossas respostas?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)