Já tinha prometido e assim foi. Barack Obama esteve esta sexta-feira na cerimónia de formatura da filha mais velha, Malia, com óculos escuros “para não chorar”. Se chorou, não se viu, portanto, mas que se emocionou e aplaudiu entusiasticamente, isso sim. A festa de final de ano letivo na escola privada de Sidwell, em Washington, costuma ser aberta ao público mas este ano era preciso comprar bilhete para assistir.

Mas Obama não estava lá na qualidade de Presidente, nota o Washington Post que captou o momento dos aplausos e dos abraços do pai à filha finalista. “Estava apenas como pai”, relatou àquele jornal uma das mães presentes na cerimónia, que descreve que “não houve qualquer alarido” por um dos pais presentes na habitual cerimónia de entrega dos diplomas aos finalistas do ensino secundário ser o Presidente dos EUA e a primeira-dama.

Foi por isso, de resto, que Obama não discursou na cerimónia, ao contrário do que fizeram outros políticos, e até antecessores, quando se viram na mesma situação. Quando Chelsea Clinton concluiu os estudos na mesma escola, em 1997, Bill Clinton discursou. Também Joe Biden, vice-presidente norte-americano, fez um discurso de formatura em 2012 quando teve os seus netos como finalistas. Também os filhos de Richard Nixon, Herbert Hoover e Teddy Roosevelt foram finalistas nesta escola.

Mas Obama, que tem marcado com o dom da oratória os últimos sete anos à frente da Casa Branca, optou por permanecer em silêncio e tanto mais discreto quanto possível.

A sua presença obrigou, contudo, a medidas de segurança acrescidas: todos os convidados tinham de passar por um detetor de metais à entrada da escola e, ao contrário do habitual, desta vez a cerimónia não foi aberta ao público. Era preciso bilhete para assistir.

Malia Obama faz 18 anos para o mês que vem e, já se sabe, foi aceite em Harvard, onde vai prosseguir os estudos. Mas antes, o casal presidencial Obama já fez saber que a filha mais velha vai tirar um “gap year”, um ano zero, o que faz com que entre na Universidade já depois de o pai deixar a Casa Branca.

A Casa Branca já tinha anunciado que Obama não iria marcar presença no funeral da lenda do boxe Muhammad Ali, marcado para esta sexta-feira, precisamente por coincidir com a cerimónia de final de ensino secundário da filha.