O Tribunal do Huambo vai julgar um alegado soba (autoridade regional tradicional de Angola) daquela província angolana e três jovens locais acusados do envolvimento no homicídio de um homem de 20 anos, cujo corpo terá sido depois esquartejado e parcialmente comido.

Fonte do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional, que conduziu a investigação, confirmou à Lusa o teor deste processo, acrescentando que o crime que terá ocorrido em janeiro deste ano. Precisou que um dos suspeitos é um suposto líder tradicional da comuna do Samboto, município de Chicala Tcholoanga, naquela província do planalto central angolano, que terá encomendado a morte de jovem local e comido partes do corpo da vítima.

Todos os quatro acusados foram detidos pela polícia angolana e segundo a imprensa local o processo já foi distribuído por juízes da 1.ª Secção de Crimes Comuns do Tribunal do Huambo, para marcação do julgamento.

Os três jovens que executaram o crime – homicídio e profanação do cadáver – têm idades entre os 17 e os 23 anos e confessaram os mesmos, alegando que terão sido ameaçados pelo soba, que teria ainda “encomendado” o homicídio e esquartejamento, que não realizaram, de outras duas pessoas.

O homicídio terá ocorrido num rio daquela comuna do Huambo, com os autores do crime, depois de agredirem mortalmente a vítima com um pau, cortarem-lhe o órgão genital, um dos braços e parte de uma perna, tendo ainda retirado parte dos intestinos.

Contaram ainda que o soba terá comido aquelas partes, “após explicar que só o fazia em companhia dos mais velhos da aldeia”, relata a edição desta sexta-feira do diário “O País”.