Uma padaria propriedade de luso-venezuelanos foi saqueada por dezenas de motociclistas armados na localidade de La Urbina, leste de Caracas, avançaram à Agência Lusa fontes da comunidade portuguesa local.

Segundo as fontes, uma vez cometido o saque, os criminosos concentraram-se na Avenida Principal de La Urbina onde beberam refrigerantes e comeram bolos roubados da padaria, perante o olhar de surpresa dos transeuntes.

Por outro lado, a três quilómetros de distância, dezenas de pessoas protestavam pela falta de abastecimento de produtos básicos alimentares nos mercados das localidades de Palo Verde e Petare, este último o maior bairro social do país, tido como um barómetro da política venezuelana.

Os manifestantes saquearam vários camiões de produtos, entre eles uma viatura que transportava frangos que desapareceram antes de a polícia chegar ao lugar.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Dezenas de estabelecimentos comerciais das localidades La Redoma de Petare, José Félix Ribas e Mesuca, encerraram as portas por temer assaltos e pilhagens.

Oficiais da Polícia Nacional Bolivariana conseguiram desviar o trânsito da zona, evitando a circulação de viaturas, principalmente de camiões de transporte de produtos.

Por outro lado, também em Caracas, dezenas de pessoas protestaram pela falta de alimentos em Cotiza e bloquearam a circulação pela Cota Mil, a auto-estrada que une, pelo norte, o centro com o leste caraquenho.

Ainda em Caracas, as lojas do Centro Comercial Passeio El Hatillo fecharam as portas depois de uma tentativa de saque numa sucursal da rede de supermercados Central Madeirense, propriedade de portugueses radicados na Venezuela.

A situação foi controlado por funcionários da Polícia Municipal de El Hatillo (sul).

No interior do país, em Mérida (800 quilómetros a sudoeste da capital), a polícia reprimiu, com tiros de borracha e bombas de gás lacrimogéneo, uma manifestação de centenas de pessoas que reclamavam a falta de produtos.

Com cartazes contra a escassez de produtos e gritando palavras de ordem contra o Governo venezuelano, os manifestantes incendiaram pneus e obstruíram ruas da cidade de Mérida.