Uma delegação do Partido Comunista Português (PCP), chefiada por Pedro Guerreiro, membro do secretariado do comité central, inicia segunda-feira uma visita de quatro dias a Luanda a convite do MPLA, partido no poder em Angola desde 1975.

Fonte do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), presidido por José Eduardo dos Santos, igualmente chefe de Estado angolano, adiantou à Lusa tratar-se de uma visita de trabalho a “convite da direção” daquele partido.

O PCP é um aliado histórico do MPLA, desde o período da luta anticolonial, e ainda em março passado rejeitou no parlamento português, um voto de condenação apresentado pelo Bloco de Esquerda sobre a “repressão em Angola” e com um apelo à libertação dos “ativistas detidos”, criticando a governação de José Eduardo dos Santos.

O PCP – que se juntou no voto contra ao PSD e CDS-PP – demarcou-se totalmente desta iniciativa, apresentando uma declaração de voto na qual se adverte que outras forças políticas “não poderão contar” com os comunistas “para operações de desestabilização de Angola”.

Durante a visita a Luanda, a delegação comunista portuguesa deverá manter encontros com dirigentes nacionais do MPLA.

Para terça-feira está ainda prevista a visita da comitiva portuguesa à província do Huambo, onde será recebida pelo primeiro secretário do Comité Provincial do MPLA, e governador provincial, general Kundi Paihama, prevendo-se uma passagem pela nova centralidade do Lossambo, em construção, com mais de 2.000 casas.

A delegação do PCP integra além de Pedro Guerreiro, que é também responsável pela secção internacional do partido, os dirigentes José Capucho, membro do secretariado do comité central, e Carlos Chaparro.

Na quarta-feira, 15 de junho, a delegação será recebida em audiência, na sede nacional do partido, pelo vice-presidente do MPLA, Roberto de Almeida.