Vieirinha lamentou este domingo que tenha sido obrigado a emigrar para mostrar o seu valor como futebolista, mas considerou que, entretanto, o cenário mudou e que os clubes ‘grandes’ estão apostar mais em jovens portugueses.

O jogador de 30 anos, que está com a seleção nacional em França a preparar a participação no Euro 2016, explicou o que correu mal há quatro anos no Mundial 2014, no Brasil, e disse ser indiferente jogar a lateral ou a extremo direito, sua posição de origem.

“Existe um sabor amargo quando é necessário sair do próprio país para se ser reconhecido e mostrar valor. Isso tem mudado e vê-se que os clubes chamados grandes agora apostam mais nos jovens. Temos excelentes valores, fomos campeões da Europa de sub-17 e no futuro curto espero que esses jogadores estejam a representar os seus clubes. Isso não aconteceu comigo em 2003”, afirmou em Marcoussis.

Nesse ano, Vieirinha sagrou-se campeão europeu de sub-17 com Portugal, num percurso que orgulha o lateral, mas mais tarde nunca se conseguiu impor no FC Porto, seu clube de formação, acabando por rumar para o PAOK Salónica, da Grécia, em 2008.

Com 22 jogos pela seleção nacional e um golo marcado, o jogador do Wolfsburgo recordou a sua primeira experiência numa fase final, há dois anos, e admitiu que na altura a preparação não foi a melhor.

“Agora temos outra motivação. A grande diferença é talvez a forma física que muitos jogadores chegaram ao Mundial. Eu tinha sofrido uma rotura de ligamento e regressado apenas dois meses antes de ser chamado. A preparação talvez não tenha sido a melhor”, explicou.

Nas duas últimas temporadas, Vieirinha passou a ser utilizado no Wolfsburgo como lateral direito, uma alteração que tem sido uma “mais-valia” para a sua carreira. “Aos olhos de outras pessoas pode ser uma desvantagem não jogar na posição de origem, mas não vejo isso assim. É uma mais-valia. Tenho-me adaptado muito bem”, disse.

A seleção portuguesa de futebol realiza hoje o último treino em Marcoussis, antes de partir para Saint-Étienne, onde na terça-feira defronta a Islândia, em jogo da primeira jornada da fase de grupos do Euro2016.

Durante todo o torneio, a comitiva lusa está instalada no Centro Nacional de Râguebi, a cerca de 30 quilómetros de Paris. Portugal joga com a Islândia na terça-feira, em Saint-Étienne, na primeira jornada do Grupo F, que inclui ainda Áustria e Hungria.