Depois de ter revelado que fez uso de falsos testes para calcular o consumo de combustível dos seus modelos, a Suzuki anunciou que o seu chairman e CEO vai abandonar o cargo de CEO, o mesmo acontecendo com o seu vice-presidente executivo, Osamu Honda, de 66 anos e há mais de 40 anos ao serviço do construtor japonês.

A Suzuki fez ainda saber que Osamu Suzuki, de 86 anos, manterá o cargo de chairman, mas com uma redução de 40% do salário durante seis meses, ao passo que o seu filho, o presidente Toshihiro Suzuki, sofrerá um corte de 30% no vencimento durante o mesmo período. Já ao quadro de administradores serão suprimidos por inteiro os bónus relativos a 2015, enquanto que os directores receberão apenas metade do valor dos mesmos.

Estas medidas pretendem ser efectivas a partir de 29 de Junho próximo, estando dependentes de aprovação pela assembleia-geral de accionistas da empresa, a realizar na mesma data. Para já, a Suzuki afirma não ter ainda tomado qualquer decisão relativa à substituição dos seus CEO e vice-presidente.

Em Maio, a Suzuki admitiu ter recorrido, desde 2010, a testes incorrectos para calcular os consumos dos seus modelos, fazendo uso de valores obtidos em testes efectuados laboratorialmente a componentes individuais, e não aos veículos como um todo e em condições de circulação.