Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O rato de Bramble Cay, conhecido por ser o mamífero mais isolado do planeta Terra, tornou-se oficialmente na primeira espécie de mamíferos a extinguir-se por causa das alterações climáticas provocadas pelo ser humano. Estes roedores costumavam viver numa pequena ilha da Grande Barreira de Coral, na Austrália, cujo tamanho não ultrapassa o de três campos de futebol. Não era visto desde 2009. Agora, os cientistas descobriram porquê, conta a revista especializada New Scientist.

Os cientistas confirmaram esta informação após terem passado 900 noites a vigiar ratoeiras instaladas um pouco por toda a ilha. Nenhuma delas foi acionada em mais de dois anos. Por isso, os cientistas optaram por montar câmaras de vigilância, mas, em 60 noites, nenhum rato de Bramble Cay foi filmado e não foram encontrados sinais da presença do animal na ilha.

Segundo Luke Leung, cientista da Escola de Agricultura da Universidade de Queensland, “isto representa provavelmente um recorde da extinção de mamíferos por causa de uma mudança climática antropogénica”, isto é, resultado da atividade e da influência humanas. A equipa de investigadores teoriza que os ratos morreram vítimas da subida do nível da água do mar, que por várias vezes provocou a inundação da ilha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Estas observações podem obrigar a União Internacional para a Conservação da Natureza a atualizar a Lista Vermelha onde expõe as espécies ameaçadas.