Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O terrorista Larossi Abballa, que matou um polícia e a sua mulher em Magnanville, transmitiu 13 minutos em direto depois de ter cometido os crimes através da sua página de Facebook. Para além de ter dito que o ataque era em nome do autointitulado Estado Islâmico, Abballa disse ainda que o Europeu de futebol que decorre no país será “um cemitério”.

A notícia foi avançada por David Thomson, um jornalista sediado em Paris que segue o Estado Islâmico, e que terá tido acesso a este vídeo que começou por ser divulgado em direto num perfil do Facebook com o nome Mohamed Ali. A televisão BFM TV avança ainda que para além de falar para o seu telemóvel, Larossi Abballa terá mostrado imagens das suas vítimas em direto, assim como do filho de três anos do casal que assassinou, que aparecia igualmente num do vídeos a esconder-se atrás de um sofá.

O terrorista deixou ainda ameaças ao país, afirmando que o Europeu de futebol “será um cemitério”. François Molins, procurador da República de Paris, confirmou a transmissão deste vídeo e estas ameaças, confirmando ainda que entre as posses do terrorista foram encontrados três telefones, três facas e uma lista de alvos, incluindo jornalistas, polícias e rappers. As fotografias das vítimas foram divulgadas pela polícia e a polícia pede agora que não se partilhe a mensagem de Larossi Abballa que já circula nas redes sociais.