A situação está a alastrar-se por todo o mundo e começa a ser motivo de grande preocupação: as crianças passam cada vez menos tempo ao ar livre. Não brincam na rua nem sobem às árvores. Não se sujam de lama nem trazem arranhões para casa.

Essas são atividades que pertencem cada vez mais ao passado. Portugal não é exceção e, num estudo que desenvolveu entre nós, Skip concluiu que 70% das crianças portuguesas brincam menos de uma hora por dia ao ar livre. Razão mais do que suficiente para a marca trazer para o nosso país o movimento já lançado noutros locais – o “Dia de Aulas ao Ar Livre” – com o objetivo de impulsionar a reflexão sobre o tema e desencadear mudanças concretas.

De acordo com Nuno Ferrari, Head of Fabrics Cleaning, o movimento Dia de Aulas ao Ar Livre “pretende promover a importância da aprendizagem experiencial, que é tão importante como a académica, mas que tem vindo a perder-se ao longo dos anos, não só no ambiente escolar como também no familiar”. E porque o tempo que as crianças despendem a brincar ao ar livre é cada vez menor, a marca propõe que se defina um dia, no final do mês de setembro ou início de outubro, onde todas as crianças possam ter aulas ao ar livre.

18460_Unilever_Outdoor Classroom Day_Portagal_Translation_070616_AY-07

O interesse na temática não é novo para Skip, que “sempre se preocupou com o desenvolvimento infantil”, mas os resultados do estudo levado a cabo em Portugal fizeram olhar com atenção redobrada para o assunto: “Decidimos que era altura de refletir sobre esta questão e fazer soar um sinal de alerta. Brincar ao ar livre é essencial para a aprendizagem de recursos essenciais à vida, tais como a resiliência, o trabalho em equipa, a liderança, a criatividade e o desenvolvimento motor.”

Envolver pais e professores

A marca pretende agora definir o dia, com a ajuda das escolas, e posteriormente envolver pais e professores. A intenção é que “estes sejam as forças motrizes do projeto e, em conjunto, possamos proporcionar às nossas crianças um dia de aprendizagem ao ar livre”, explica o responsável, salientando a importância do envolvimento do maior número de escolas possível. “Existe uma consciência crescente de que as crianças passam demasiado tempo em espaços fechados e em ambientes muito formatados, impedindo-as de estimular a criatividade, a energia e a curiosidade”, diz. Por essa razão, acredita que “tanto professores como pais e até mesmo a sociedade portuguesa estão cada vez mais predispostos a aderirem a este tipo de iniciativas”.

Para já, está a ser estabelecido contacto com a Associação Nacional de Professores, que se “mostrou bastante recetiva a apoiar este projeto”. “Esperamos que, com este apoio, possamos sensibilizar um número ainda maior de escolas”, sublinha Nuno Ferrari.

Para ajudar à organização do Dia de Aulas ao Ar Livre, a página do movimento – www.diadeaulasaoarlivre.pt – irá disponibilizar vários recursos e ideias para que os professores e as escolas possam planear o dia com sucesso. Além dos docentes e estabelecimentos de ensino, também os pais são convidados a aderir ao movimento, podendo fazê-lo através do site da iniciativa.

Pequeno grande passo

“Este é um movimento pensado para o desenvolvimento das crianças, o nosso futuro reside nelas”, salienta o nosso interlocutor, motivo pelo qual reforça a importância da adesão ao movimento. “Sabemos que é apenas um pequeno passo, mas acreditamos estar na direção certa para iniciar uma abordagem diferente por parte das escolas, professores e mesmo dos pais, no que respeita aos benefícios e necessidade das crianças passarem mais tempo ao ar livre”.

O objetivo de Skip passa não só por assinalar o dia anualmente, mas também por repeti-lo mais vezes ao longo do ano. Neste momento, a iniciativa está já a ser promovida pela marca em diversos países, nomeadamente, Reino Unido, Finlândia, Turquia e Austrália, entre outros, “com o objetivo de proporcionar, no mínimo, um dia de aulas ao ar livre a 1 milhão de crianças, este ano”, conclui.

Para participar neste movimento e proporcionar um dia de aulas ao ar livre às crianças inscreva-se aqui.

Este artigo foi desenvolvido ao abrigo da parceria entre o Observador e a SKIP. Logotipo Skip