Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras diz que não vai aceitar mais dinheiro da União Europeia, nem dos seus Estados-membros, em forma de protesto contra a política de refugiados do bloco, em particular ao acordo com a Turquia.

“A MSF [Médicos Sem Fronteiras, na sua sigla em francês] anuncia hoje que não vai continuar a aceitar financiamento da União Europeia e dos seus Estados-membros em protesto contra as suas vergonhosas políticas de dissuasão e a sua intensificação dos esforços para manter as pessoas afastadas da costa europeia”, disse o grupo em comunicado.

Numa publicação na rede social Twitter, a organização vai mais longe e diz que não tem sentido aceitar dinheiro da União Europeia e dos países que compõem o bloco enquanto trata as vítimas das políticas da UE.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Só no ano passado, a Médicos Sem Fronteiras recebeu 56 milhões de euros em financiamento da União Europeia e dos Estados-membros.

Numa altura em que o número de migrantes, muitos deles a fugir da guerra na Síria, a entrar na Europa é o mais elevado desde a Segunda Guerra Mundial, a organização critica duramente o acordo alcançado em que a Turquia aperta o controlo sobre as suas fronteiras impedindo a viagem para as ilhas gregas dos refugiados em troca de dinheiro e benesses no processo de adesão à União Europeia, e em que a Europa aceita apenas um refugiado por cada pessoa é ‘devolvida’ à Turquia.