Para a semana o plenário da Assembleia da República começa às 14h30, meia hora mais cedo do que o habitual, para que a reunião também possa acabar mais cedo, a tempo de os deputados ficarem livres para assistirem ao jogo da Seleção Nacional, o último da fase de grupos do Euro 2016. A antecipação em meia hora evita um plenário a meio gás durante o tempo do jogo.

Esta sexta-feira, antes de encerrar os trabalhos no hemiciclo, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, deu o aviso aos deputados: “Não se esqueçam que na quarta-feira [dia da próxima reunião do plenário] os trabalhos começam às 14h30”. O normal nas quartas-feiras é que esta reunião comece às 15 horas. O Observador confirmou junto de Duarte Pacheco, secretário da Mesa da Assembleia da República que a antecipação em meia hora tem como objetivo que os trabalhos terminem mais cedo nesse dia, antes de começar o Hungria-Portugal, que vai jogar-se em Lyon a partir das 17 horas.

Duarte Pacheco já antevê críticas, por isso, desvaloriza a alteração de horário que foi acordada entre as bancadas parlamentares.

As pessoas acham normal que o Presidente da República interrompa a sua atividade para ver o jogo, acham normal que o primeiro-ministro interrompa a sua atividade para ver o jogo e até que o líder da oposição interrompa a sua atividade para ver o jogo. É crime os deputados quererem ver o jogo?”.

Este será o último jogo antes da passagem do campeonato para os oitavos de final, que nesta fase está longe de estar garantida pela seleção nacional de futebol, depois do empate (a uma bola) contra a Islândia no primeiro jogo no Euro 2016. O jogo de quarta-feira será seguramente decisivo.