Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O regresso de Dory e Nemo, os inseparáveis peixes amigos, traz uma nova personagem. O nome é Piper, uma pequena ave de praia, que tenta fazer-se valer no mundo dos adultos: tornar-se autónoma e independente e encontrar alimento sem a ajuda da mãe. Piper não entra no filme “À Procura de Dory”, mas antecede-o com uma curta-metragem realizada por Alan Barillaro. A jornada da pequena ave já está a conquistar muitos internautas, depois de a Pixar ter revelado o teaser de 24 segundos — a curta tem seis minutos.

[Veja aqui o teaser de “Piper”]

A história desenrola-se numa praia, um dos sítios que o realizador tomou como inspiração. A construção da identidade de Piper tornava-se familiar a cada passeio à beira mar e foi precisamente esta proximidade que prendeu a Pixar para a realização de uma curta-metragem de seis minutos. O processo de crescimento das aves foi estudado com detalhe: desde as visitas recorrentes à beira-mar até ao estudo das migrações da própria espécie, a realidade foi esmiuçada ao pormenor.

À Vanity Fair, Alan Barillaro afirma que até as conchas na praia captaram a atenção: “Nós não recolhemos as conchas, mas eu definitivamente tirei-lhes uma fotografia”, disse o realizador, que fez parte da pesquisa acompanhado pelos filhos. O trabalho de campo foi essencial para as imagens realistas da curta-metragem. As linhas pormenorizadas das personagens e dos objetos e a focagem da câmara tinham como objetivo “colocar o espetador num documentário sobre a Natureza”, à maneira do National Geographic.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Tal como noutros títulos da Pixar — por exemplo “Wall-E” ou outra curtas que por tradição a Pixar inclui antes do arranque dos seus filmes — também “Piper” não tem diálogo. Piper é uma pequena ave de praia que é forçada a desenrascar-se no meio de “gente grande”, com a devida orientação da mãe que não a sufoca com cuidados em demasia, nem com um afastamento exagerado. O realizador disse ao USA Today que a “mãe [de Piper] é o pai que desejava ser – estar presente para os filhos, mas dar-lhes espaço para crescer”.

Ao longo do caminho, a pequena ave faz alguns amigos, no entanto também lhe estão reservados alguns perigos. Algo que não agradou aos filhos de Barillaro, mas que se revelou necessário para mostrar a força de vontade da personagem face aos obstáculos.

A curta-metragem “Piper” é apontada como uma possível nomeada para a próxima edição dos Óscares. O realizador afirmou à Vanity Fair não estar focado nos prémios, mas sim nas próximas férias que não passam pela praia.

Quanto a “À Procura de Dory”, recupera a ideia do primeiro filme, em que Nemo estava perdido e precisava regressar a casa. Aqui é Dory (a quem Ellen DeGeneres dá voz na versão original), um peixe com alguns (bastantes) problemas de memória, que quer reencontrar a família, apesar de não se lembrar de nada.