O investimento captado pelos vistos ‘gold’ subiu 16,6% em maio, face a abril, para 96 milhões de euros, de acordo com os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) divulgados esta sexta-feira.

Em maio, foram atribuídas 157 autorizações de residência para a atividade de investimento (ARI), das quais 149 foram concedidas por via de aquisição de bens imóveis e oito por transferência de capital, o que compara com os 130 vistos ‘gold’ concedidos durante abril.

Até à data ainda não foram atribuídos vistos mediante as novas regras, que entraram em vigor em setembro do ano passado, mas já há pedidos.

Fonte oficial do SEF disse à Lusa que, até maio, “havendo registo de alguns pedidos, não houve ainda concessão de ARI por novos requisitos de investimento”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Do total de investimento arrecadado em maio (96.113.794,23 euros), que representa um crescimento superior a 13 milhões de euros face a abril, a maior fatia continua a ser proveniente da compra de bens imóveis, que no mês passado ascendeu a 87.833.201 euros (contra 73,2 milhões de euros no mês anterior), enquanto a transferência de capitais totalizou 8.280.593,23 euros.

Em termos acumulados – desde que os vistos começaram a ser atribuídos, a 08 de outubro de 2012, até maio último -, o investimento total captado com as ARI atingiu os 2,1 mil milhões de euros, mais precisamente 2.103.798.122,56 euros.

Deste montante, o investimento acumulado oriundo de aquisição de imóveis ascendeu a 1.899.390.606,67 euros e a transferência de capitais somou 204.407.515,89 euros.

Desde que os vistos ‘gold’ entraram em vigor foram atribuídos 3.452 ARI: dois em 2012; 494 em 2013; 1.526 em 2014; 766 em 2015 e 664 até maio.

Em termos acumulados, desde a sua criação até final de maio, foram concedidos 3.261 vistos pelo requisito da aquisição de bens imóveis, 186 por transferência de capital, e cinco pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

A China lidera a lista de ARI atribuídas (2.651 até maio), seguida do Brasil (165), Rússia (115), África do Sul (96) e Líbano (54).

As novas regras para a obtenção de vistos ‘gold’, que alargam os critérios de investimento para cidadãos fora da União Europeia a áreas como reabilitação urbana e ciência, entre outros, entraram em vigor a 03 de setembro de 2015.

No ano passado, o investimento resultante dos vistos ‘gold’ caiu para metade, face a 2014, para cerca de 466 milhões de euros.