A entidade reguladora da propriedade intelectual chinesa proibiu a Apple de vender o iPhone 6 e iPhone 6 Plus em Pequim, conta a Market Watch. De acordo com a entidade, os telemóveis em causa são demasiado parecidos com os de uma marca chinesa concorrente. Algumas lojas da capital já pararam de vender os telemóveis Apple há dois meses, mas ainda não é claro o impacto que isso terá nos lucros da marca da maçã.

Segundo o documento enviado pelo Gabinete de Propriedade Intelectual de Pequim, os dois modelos mais recentes da Apple parecem ter um design muito próximo ao patenteado pela marca chinesa Shenzhen Baili, produtora do smartphone 100C. Apesar de ainda não se ter pronunciado sobre o caso, fontes próximas à Apple já vieram anunciar que a marca vai deixar de produzir o iPhone 6 e o iPhone 6 Plus em breve. Ainda assim, a marca pode recorrer num tribunal de maior instância.

Este é o último desafio enfrentado pela Apple desde que aumentou a sua presença na China, o maior mercado estrangeiro da companhia. A primeira queda das vendas da Apple em treze anos ocorreu em abril, precisamente depois de a China ter proibido a venda de iBooks e de filmes no iTunes.