A Islândia era tudo menos favorita a vencer o Grupo F. E seguir em frente já era uma “vitória” para os islandeses. Porquê? Porque apesar de ter sido segunda classificada na fase de apuramento para o Euro 2016 (a República Checa foi primeira, a Turquia terceira e a Holanda ficou a ver o Euro pela TV), era a seleção com pior ranking na FIFA de entre as que defrontaria neste grupo. Agora é segunda classificada, com os mesmos dois pontos de Portugal.

Se vencer a Áustria na próxima quarta-feira, a Islândia será mesmo apurada em primeiro lugar. Isto, claro, se Portugal der uma ajudinha. E tem mesmo quer dar. E que “ajudinha” é essa? Vencer a Hungria. Se não vencer, está praticamente fora do Euro. Ponto. Se Portugal vencer, mas a Islândia também, apuram-se ambas.

Confuso? Vamos lá puxar da calculadora e traçar os cenários possíveis.

O grupo está organizado assim: Hungria (1.º, com 4 pontos); Islândia (2.º, com 2 pontos, mas em vantagem sobre Portugal no goal average); Portugal (3.º, com 2 pontos); Áustria (4.º, com 1 ponto).

Portugal, para se apurar, seja em primeiro ou segundo lugar do grupo, tem que vencer. É primeiro classificado se a Islândia perder ou empatar com a Áustria. É segundo classificado se a Islândia vencer e tiver uma melhor diferença de golos do que Portugal.

Vamos complicar o cenário: mesmo que a Islândia vença a Áustria, Portugal até pode ser primeiro. Como? Neste momento, Portugal tem um golo marcado e um sofrido. Os islandeses dois marcados e dois sofridos. Ou seja, Portugal terá sempre que marcar mais golos do que a Islândia no próximo jogo, de preferência sem sofrer nenhum. O critério de desempate por golos é simples e explica-se assim “às criancinhas”: marcas mais, sofres menos, estás à frente.

Agora, vamos ser pessimistas. Portugal só empata com a Hungria. Chega? Talvez. Resvés Campo de Ourique. É preciso contar com os outros: a Áustria não pode vencer a Islândia. Não pode mesmo. Se vencer, fica com quatro pontos, e Portugal somente com três. E o Euro vai-se. Agora, se os austríacos empatarem também, Portugal passará, desde que o seu empate seja com golos. Estes eventuais golos, somados aos golos de Portugal dos últimos dois jogos (ou seja, apenas um golo), têm de ser mais do que aqueles que a Islândia apontar.

Sim, é confuso. Mas quando se deixa tudo para a última, já se sabe que dá trapalhada. O que vale é que neste Euro 2016 há 24 seleções. Quer isto dizer que para os oitavos-de-final não se apuram somente os primeiros e segundos classificados de cada grupo, mas também os melhores terceiros. Os quatro melhores terceiros classificados, aliás. Olhando às classificações dos restantes grupos, e como Portugal só tem dois pontos e um golo marcado, o melhor é esperar. E voltar a puxar da calculadora na quarta-feira à noite.

Se Portugal passar aos “oitavos”, tudo se torna mais fácil: ou ganha ou perde. Acaba-se a matemática.